Quarta, 18 Setembro 2013 13:38

Depois de ser alvo de espionagem, o governo Brasileiro planeja se “divorciar” da internet centrada nos EUA.

 

    Depois de ser alvo de espionagem, o Brasil planeja se divorciar da internet centrada nos EUA, em um movimento que especialistas temem ser um potencial perigoso para a fragmentação de uma rede constituída com mínima interferência de governos.


    Após revelação que a NSA (Agência de Segurança Nacional dos EUA) interceptou comunicações da Presidente do Brasil e, invadiu a rede da Petrobras e espionaram brasileiros que confiaram seus dados a empresas americanas como Google e Facebook, a presidente ordenou uma série de medidas a fim de aumentar a autonomia online do Brasil.

 

 
Especialistas dizem que para se isolar digitalmente da espionagem dos EUA, poderia não ser apenas custoso e complicado, mas também encorajar governos autoritários a buscar maior controle técnico sobre a internet, esmagando a liberdade de expressão interna.


    A maior parte de tráfego de internet brasileiro passa pelos EUA, com isso o governo brasileiro planeja passar cabos de fibra ótica diretamente da Europa, e ligar também todos os países da América do sul para uma rede criada contra a espionagem americana.


    Para solucionar o caso, especialistas argumentam que na verdade o que deve ser feito, são fortes leis internacionais para tornar as nações responsáveis a garantirem a sua privacidade online. Argumentam também que o Brasil não se protegerá de intrusos ao se isolar digitalmente, podendo também desencorajar as inovações tecnológicas, se toda a população for levada a usar um serviço de email criptografado mantido pelo estado. Leia na integra.


Fonte: Uol
Foto: noteshared

© Copyright 2017
Agência CÊS - COMUNICAÇÃO E MARKETING
Todos os direitos reservados.